Educação para a Saúde

1. Introdução.

«A promoção da educação para a saúde em meio escolar é um processo em permanente desenvolvimento para o qual concorrem os setores da Educação e da Saúde. Este processo contribui para a aquisição de competências das crianças e dos jovens, permitindo-lhes confrontar-se positivamente consigo próprios, construírem um projeto de vida e serem capazes de fazer escolhas individuais, conscientes e responsáveis. A promoção da educação para a saúde na escola tem, também, como missão criar ambientes facilitadores dessas escolhas e estimular o espírito crítico para o exercício de uma cidadania ativa.»

In Protocolo entre o Ministério da Educação e o Ministério da Saúde

A saúde é um conceito quotidiano que implica “um estado completo de bem estar físico, social e mental e não apenas a ausência de doença e/ou enfermidade” (OMS, 1993). Dentro desta perspetiva, a Educação para a Saúde deve ter como finalidade a preservação da saúde individual e coletiva.

A consciencialização, a tomada de decisão e realização de atos que contribuam para a saúde individual e coletiva dependem da divulgação de informação e do desenvolvimento de competências que habilitem as crianças e jovens a uma progressiva autorresponsabilização que contribua para a preservação da sua saúde e dos que vivem na comunidade.

Todos os dias são produzidos enormes quantidades de resíduos de medicamentos, desde a sua produção até ao consumo final. Para evitar que esses resíduos se misturem com o lixo doméstico comum foi criado um sistema  de recolha e gestão dos resíduos de embalagens de medicamentos e de medicamentos fora de uso. Ora, verificamos que ainda há muitas famílias que não separam os medicamentos do lixo doméstico, pondo deste modo em perigo a sua saúde e a dos outros.

Neste âmbito, o nosso projeto pretende sensibilizar  e envolver as as crianças e jovens e as suas famílias para a importância da separação dos medicamentos e da criação de um país emundo menos poluído e, por conseguinte,  mais saudável.

O projeto será dinamizado em colaboração estreita com uma farmácia,  pais e Encarregados de Educação.

 

2. Objetivos/Estratégias

No âmbito do Projeto da Saúde, -Educar para a Cidadania, propõe- se o  desafio " Recolha de medicamentos fora do prazo de validade " numa postura de mudanças de mentalidades e de cultivo da preservação do meio ambiente.

 

A recolha assenta nos seguintes objetivos:

Sensibilizar os diversos elementos da comunidade educativa para a necessidade da Educação para a Saúde, fomentando a sua participação ativa e envolvimento neste projeto;

Proporcionar aprendizagens conducentes à promoção da educação para a saúde.

Contribuir para a tomada de decisões saudáveis;

Promover a auto responsabilização dos jovens pela sua saúde;

Sensibilizar os jovens e respetivas famílias para a importância de hábitos de saudáveis

 

3. Àreas de Intervenção

O projeto insere-se na área de Promoção da Saúde e também na Promoção da Educação ambiental cujo objetivo é sensibilizar para uma utilização responsável e eficiente dos medicamentos fora de prazo, preservando a saúde pública e promovendo a qualidade  ambiental.

Neste  âmbito, alertar-se-ão os alunos e famílias para :

A utilização de medicamentos seguindo as instruções do médico e do farmacêutico;

O armazenamento  de medicamentos em local apropriado e dentro das embalagens originais;

A verificação do prazo de validade antes de qualquer toma;

A administração dos  medicamentos apenas a quem eles forma receitados;

A realização de uma vistoria periódica à farmácia doméstica;

A separação dos medicamentos do restante lixo;

A entrega  de medicamentos fora de prazo ou inutilizados na Farmácia.

 

Os contentores de recolha de resíduos de medicamentos, cheios e  selados são enviados pelos distribuidores habituais de medicamentos que os encaminham para os locais de triagem.

Na triagem, os materiais que podem ser reciclados (vidro, cartão e plástico) são separados dos restantes. Os primeiros são encaminhados para centros de reciclagem e o restante é encaminhado para incineradoras para destruição. Evita-se, assim, que se contaminem os solos com substâncias perigosas.

Os resíduos dos distribuidores farmacêuticos e laboratórios são também encaminhados para os centros de reciclagem.

 

4.Atividades a desenvolver

Apresentação do projeto em Conselho Pedagógico, à Associação de Pais e Encarregados de Educação e, aos Diretores de Turma.

Elaboração de um panfleto informativo e a solicitar a participação das famílias no projeto

Participação das famílias na separação dos medicamentos do restante lixo

Entrega dos medicamentos na escola

 

5.Calendarização

A apresentação do projeto em Conselho Pedagógico será feita no dia 12 de Novembro, à Associação de Pais e Encarregados de Educação e Diretores de Turma via email.

 

A Recolha será feita na primeira semana do mês de Dezembro e unicamente nessa semana.

 

6. Avaliação

Pretende-se avaliar a eficácia e qualidade deste projeto de uma forma contínua, de modo a poder reformulá-lo quando necessário.

 

A avaliação deverá ser formativa e utilizar como  instrumento:

● Questionários;

 

Quanto a indicadores, sugerem-se:

● Quilos  de medicamento entregues

● Aumento de competências pessoais e/ou sociais;

● Nível de participação/envolvimento;

● Impacto das atividades na alteração dos hábitos.

 

No final do ano letivo a avaliação será concretizada com a elaboração de um relatório. Este terá como principal objetivo fomentar as boas práticas e possibilitar a reformulação das metodologias inerentes às ações com menor impacto.

 

Projeto dinamizado pela docente Paula Afonso Asnes, com o apoio do grupo 500 e inserido no Projeto Educação para a Saúde já existente na Escola.

 

 

Alcabideche, 3 de novembro de 2014.